Hortelã Para que Serve.

A hortelã é uma planta medicinal rica em minerais como cálcio, ferro, fósforo, potássio e nas vitaminas A, B e C.

Com ela pode-se fazer um ótimo remédio caseiro para má digestão.
A hortelã, cientificamente chamada de Mentha piperita L., também é conhecida popularmente como hortelã pimenta e hortelã apimentada.

Para que serve a hortelã

A hortelã serve para o tratamento da azia, má digestão, problemas do fígado e vesícula biliar, flatulência, náuseas, vômitos, cólon irritável, dor de dente e nevralgias. O uso do óleo essencial de hortelã é indicado para combater inflamações orofaríngeas, gripe, tosse, bronquite, faringite, rino-sinusite e seu uso externo na dor muscular.

Propriedades da hortelã

A hortelã possui propriedade anti-séptica; anestésica; tranquilizante suave; analgésica (principalmente a nível local e das mucosas do aparelho digestivo); antitússica; mucolítica; expectorante e descongestionante das vias respiratórias pelo óleo essencial.

Modo de uso da hortelã

As partes utilizadas da hortelã são as folhas inteiras, caule e o óleo essencial. Na forma de chá, tintura e como erva aromática na preparação de saladas e alguns pratos quentes.
Uso interno
  • Chá de hortelã: Adicionar 1 colher (de chá) de folhas secas ou frescas de hortelã numa xícara de água fervente. Deixar repousar por 5 minutos, coar e beber a seguir. 
  • Tintura (1:5): 50 gotas, uma a três vezes por dia.
  • Tintura mãe: 40 gotas, três vezes ao dia.
Uso externo
  • Inalações secas ou úmidas: 5-10 gotas de óleo essencial em 0,5 litro de água quente.
  • Sauna facial para nevralgias faciais provocadas pelo frio: 25 g de folhas em 0,5 litro de água fervente. Expor o rosto aos vapores, cobrindo a cabeça com uma toalha.

Efeitos colaterais da hortelã

Contrações no útero, diminuição da sensibilidade, insônias, dispneia e em casos muito raros pode causar asfixia em crianças e lactantes.

Contraindicações da hortelã

Gravidez; amamentação; crianças menores de seis anos; doentes com dispepsias hipersecretoras; doenças intestinais graves e doenças neurológicas. Outras informações importantes:
  • Indivíduos que possuam cálculos biliares só devem utilizar a planta com aconselhamento médico.
  • O uso do óleo essencial deve ser feito sob cuidados, recomenda-se o teste de tolerância.
  • O óleo essencial deve ser administrado internamente em cápsulas com revestimento entérico, para não causar azia.
  • Em pessoas sensíveis pode causar insônias, nervosismo e dermatites de contato e caso inalado pode causar asfixia principalmente em crianças, além de irritar os olhos.

Autor:

Facebook Comentarios